Pular para o conteúdo principal

Postagens

Mostrando postagens de Abril, 2009

Paz interior.

Manhã de outono e acordo decidida momentâneamente, mas não sabia que poderia ser passageiro.
Acordo decidida a esquecer o que me faz sofrer.
Decidida a mudar o rumo da minha vida sentimental.
E ponho um ponto final (segundo eu), como se não significasse nada, com aquele ar de superioridade que tanto faz, tanto fez.
Mas não sabia que o tanto faz, tanto fez pela parte dele fizesse tanta diferença. Me afetasse tanto.
Era como se fizesse tudo, esperando uma reação de culpa, de retaliação, de reconhecimento. Como se a esperança estivesse viva, e tudo fosse um drible para mudar a situação que me encontrava.
Mas nada do que eu esperava realmente (mesmo que não soubesse que esperava isso) aconteceu.
"Seja feita a sua vontade..."
Essa foi a resposta mais dura que ele poderia ter me dado.
Mas foi aceita. E espero que continue sendo aceita.
Mais tarde, a ficha caiu. Mais tarde a saudade bateu.
Mais tarde me senti um lixo.
Senti que a vida não ia fazer tanto sentido sem ele do meu lado.
Que eu ia so…

Corte profundo..

E chorava feito uma criança. Como a muito tempo não acontecia.
Nem ao menos começava a falar e os soluços interrompiam as palavras, cortando-as ao meio.
Uma onda de raiva tinha me levado ao fundo. Era um misto de humilhação, falta de reciprocidade e arg!
Me rejeitaram, me humilharam, pisaram no meu calo de forma dolorosa, e isso tudo me tocou profundamente. Chegando ao ponto de meus olhos transbordarem de água a todo instante.
Porque logo eles?
Porque logo umas das pessoas que mais prezo, amo e defendo tem a capacidade de me humilhar daquele jeito?
Porque logo eles conseguiram me fazer sentir tão inferior?
Me fizeram relembrar um choro tão sofrido, tão passado?
Me deram um corte, e não foi superficial.
Alguma coisa explode dentro de mim.
Mas me conforta saber, que quem tem como pagar, nunca fica me devendo.
Porque eu não sou meramente, o que tentaram fazer com o que eu fosse!