segunda-feira, 28 de junho de 2010

~'. desejos passageiros.

~'. E meu coração aperta, sacode, estremece, grita de agunia quando meus olhos enxergam algo indesejado.
Por algum tempo ainda será assim.
Até que ele se acostume, se acalme, encontre um novo alguém que possa habitá-lo.
Mesmo tendo a impressão nítida que amor não se morre, eu ainda procuro uma outra pessoa que possa chamar de amor, que possa dar carinho, que possa me proporcionar momentos de felicidade.
Combinamos de nos casar em 2015. Uma amiga me lembrou isso hoje.
Daqui a uns dias ele chegará, e já não tenho mais certeza de nada. Quer dizer, nunca temos certeza de nada.

Sinto saudades, vontade de está junto, desejo daquele abraço gostoso, daquele carinho.
Mas não posso fazer a mesma coisa de sempre, não, não posso.
Preciso ficar longe, me manter forte.
Eu sei que ele sente saudades, vontade de estar junto, desejo desse meu abraço gostoso, desse meu carinho.
E vou fazer com que, ele sinta isso em proporções cada vez maiores.
Não por vingança, não por raiva. Mas por amor.
É difícil deixar de lado alguém que você ama, alguém que você consegue sentir que te ama.
Eu sinto que ele me ama. Eu sei disso.
E por sempre ter sido amiga dele a vida toda, eu consigo entender ele.
Eu não posso impor que fique comigo, não quero nada por obrigação.
Quando ele perceber que sou mais importante do que qualquer desejo passageiro, ele volta.
E é uma pena não saber se vou estar aqui, ou não!

domingo, 20 de junho de 2010

~'. Tudo que é certo, pode mudar.

Quando a vida toma um rumo diferente do qual queremos, do qual insistimos em ser, nos revoltamos, choramos, esperniamos.
Mas de que adianta tudo isso?
De que adianta se importunar por algo que não faz mas sentido, por algo que não vai voltar?
Esperniei, chorei, gritei, xinguei, dei piti.
E agora parece que nada aconteceu.
Estou tentando viver de uma forma mais sutil, esquecer com verdade, com sinceridade, com vontade, com volume máximo.
Tudo mudou tão de repente, tão sem explicação. E eu por um momento me vi sem chão.
Me vi perdida num mundo que construir e passei a habitar.
Nada mais disso faz sentido agora.
E de novo, preciso me adaptar.
Me adaptar ao mundo no qual eu posso viver de uma forma melhor, de forma voraz, de forma superior.
É isso que eu sou, superior.
Preciso dar a valor a quem sou, a quem construir com o decorrer do tempo...
E esquecer do que me puxa pra baixo, do que me deixa paralizada, do que me faz estagnar.
Já estou melhor, tudo isso vai passar.
Novamente, na vida de sempre.
Só que recomeçando a construir minha ponte de outra forma, por outro ângulo!
Um ângulo cheio de cores, formas... Cheio de vida.
A vida que eu quero viver!

sábado, 12 de junho de 2010

~'. O meu namorado


~'. Mais um ano ao seu lado.
Mais um ano de aprendizado, mais um ano de stresse, mais um ano de felicidades, mais um ano regado de amor e paixão.
Só queria reforçar, que estar ao seu lado é indescritível.
E que peço a Deus todos os dias pra abençoar nosso amor, pra eternizar esse laço único que nos une.
Sei que nossos planos vão ser concretizados, e que vamos ser muito feliz por isso.
Que a harmonia, o carinho, o amor, o companherismo e o respeito, tomem conta do nosso relacionamento.
É maravilhoso tê-lo com meu namorado, meu amigo, meu melhor!
E sei que essa essência do nosso amor, nunca vai deixar de existir.

' Alegria é olhar pro teu sorriso e ter você
Sempre ao meu lado
Alegria é estar junto a você e poder ser
A sua namorada!'

Hoje não vou escrever a quantidade de linhas de sempre, serei breve. Pois o que tenho a dizer é tão grande, mas suas palavras palavras tem poucas letras.

Te amo, e disso você já sabe!
(L)

quarta-feira, 9 de junho de 2010

~'. Nem sempre sou o que deveria ser

-'. Não é sempre que  falo a verdade, não é sempre que demonstro sinceridade.
Sim, eu sou imperfeita. Cheia de cicatrizes que a vida vem me deixando a cada dia.
E ainda bem que algumas já estão cicatrizadas.
Muita coisa dolorosa já se foi, já passou e eu superei.
Ultimamente tenho pensado tanto na vida, no que me aprisiona, no que não me faz bem e ainda não consigo me livrar.
Um luta vã, contra os defeitos que me deixam em pé e que não tenho coragem de excluir da minha vida, por muitas vezes serem os culpados pelo meu sustento e me tornar mais forte.
Nem sempre sou feita de risos, de felicidade explícita.
Muitas vezes fiz escolhas erradas, cometii erros um tanto de vezes multiplicados, até aprender a acertar.
Acertos do jeito que escolhi, para que signifiquem acertos pra mim, não pra os outros.
Muitas vezes anulei minhas escolhas, me anulei por escolhas alheias.
Dei valor excessivo a quem não merecia, chorei por quem não prestava.
Imaginei um mundo que não existia, recebi o que não merecia.
Mas só depois disso tudo, percebir que o maior erro, é esperar algo de alguém.
É por expectativas em outro ser humano.
Nem sempre faço o que espero, porque esperar pelos outros?
Realmente a vida ensina a gente a viver, quando queremos aprender a viver melhor.
Os meus erros e meus acertos, me tornaram a mulher que sou.
Talvez escondendo a menina antiga que era, com alguns sonhos parecidos, alguns desejos similares.
Nunca perdemos de forma completa a essência de quem somos.
O que é importante fica!