segunda-feira, 28 de junho de 2010

~'. desejos passageiros.

~'. E meu coração aperta, sacode, estremece, grita de agunia quando meus olhos enxergam algo indesejado.
Por algum tempo ainda será assim.
Até que ele se acostume, se acalme, encontre um novo alguém que possa habitá-lo.
Mesmo tendo a impressão nítida que amor não se morre, eu ainda procuro uma outra pessoa que possa chamar de amor, que possa dar carinho, que possa me proporcionar momentos de felicidade.
Combinamos de nos casar em 2015. Uma amiga me lembrou isso hoje.
Daqui a uns dias ele chegará, e já não tenho mais certeza de nada. Quer dizer, nunca temos certeza de nada.

Sinto saudades, vontade de está junto, desejo daquele abraço gostoso, daquele carinho.
Mas não posso fazer a mesma coisa de sempre, não, não posso.
Preciso ficar longe, me manter forte.
Eu sei que ele sente saudades, vontade de estar junto, desejo desse meu abraço gostoso, desse meu carinho.
E vou fazer com que, ele sinta isso em proporções cada vez maiores.
Não por vingança, não por raiva. Mas por amor.
É difícil deixar de lado alguém que você ama, alguém que você consegue sentir que te ama.
Eu sinto que ele me ama. Eu sei disso.
E por sempre ter sido amiga dele a vida toda, eu consigo entender ele.
Eu não posso impor que fique comigo, não quero nada por obrigação.
Quando ele perceber que sou mais importante do que qualquer desejo passageiro, ele volta.
E é uma pena não saber se vou estar aqui, ou não!

Nenhum comentário: