segunda-feira, 26 de abril de 2010

-'.

-'.Sou chata, irritante, ignorante, irônica e o que mais mereça que eu seja.
Mas não sou burra, nem mentirosa e nem sempre sou tão ruim, caso mereça isso.
Possa ser que seja boba, muitas vezes não veja maldade em tudo.
Mas eu não esqueço nem o bem e nem o mal que fizeram a mim, posso até ser benevolente e perdoar.
E quando perdoo, é de coração.
Posso até equilibrar o bem e o mal que me fizeram, numa tentativa inútil de esquecer.
Mas não esqueço.
Odeio fazer papel de boba... Odeio que me escondam algo, quando todo mundo já sabe e eu era a primeira que deveria saber.
Odeio esse ar de superioridade, de cinismo, de ironia.
Acho que a ironia é contagiosa, pois ando com a ironia nos lábios como uma tentativa vã, de submergir toda minha raiva, minha indignação, minha falta de paciência.
As vezes isso funciona aos olhos de quem está do outro lado, mas hoje vejo que a ironia não é nada mais do que esconderijo.
Um esconderijo para que se sinta melhor, uma esconderijo para quem procura alívio.
De esconderijo, ela não possue nem um fio dos cílios, a ironia não passa de um vidro transparente, no qual todos podem enxergar o lado oposto, basta uma forcinha qualquer.
No qual se vive de aparências que muitas vezes enganam aos outros, mas aparências que não conseguem enganar a nós mesmos, basta viver pra saber.
Ele vive de ironia, e descobrir que ele pode se encontrar na mesma forma que eu me encontro hoje.
Descobrir que ele sente e tenta esconder, que ele chora e vem submergindo as suas lágrimas.
Possa ser que sim, possa ser que não.

quinta-feira, 15 de abril de 2010

-'. canalhas.

-'. Nesses últimos dias, tenho andado abismada com os altos níveis de falsidade que nos rodeiam.
Fiquei triste, triste por viver com pessoas aproveitadoras, mentirosas, nojentas e calculistas por tanto tempo e só ter percebido agora. Sensação de cegueira, de ter sido estúpida todo esse tempo sem enxergar tudo que estava a palmos dos meus olhos.
Realmente não sei o que os levam a ser assim. O prazer do desagrado.
Quase todos do meu ciclo de amigos, vem sofrendo com diferentes pessoas, alguma forma de mentira, engodo, má fé.
Pessoas que se camuflam em um ar de sinceridade e amizade verdadeira, se omitem pra levar vantagem as custas alheias. Vivem de criar intrigas, inventar histórias, intensificar palavras, vivem de serem desonestos. Em troca de que? É o que eu vivo me perguntando.
E não encontro nenhuma resposta plaúsivel para estarem nesse grau de desonestidade.
Na realidade sinto pena. Pena de pessoas que tentam consquistar os outros com confissões que jurou segredo, ou tentando desfazer relacionamentos que já existiam, ou criando uma imagem inexistente do outro e passando essa imagem como fosse verdadeira, sem pelo menos conversar e saber o ponto de vista do outro.
É muito difícil conviver com pessoas assim. É complicado ter que ficar se omitindo de conversar com sua melhor amiga, porque alguém chegou. Alguém que deveria ser seu amigo e você deveria confiar, te deu margens pra que isso não aconteça mais. E infelizmente as pessoas não se tocam. Elas não sentem ou não querem sentir que estão incomodando ou que a presença delas ali não é agradável.
Tenho me privado bastante de contar minhas conquistas, meus segredos, minha vida. Estou receiosa com quem me rodeia, mas sei em quem devo acreditar. Por isso, agora tenho falado menos, estou mudando. Logo eu, que sempre tive minha vida como um livro aberto. Estou vendo que não é proveitoso continuar vivendo assim, com esse povo que anda se mostrando falso.
Fico chateada quando falam de mim, comentam e eu ao menos posso me defender. Ao menos posso saber porque a pessoa pensa desse jeito. Pra mim sempre foi preferível que chegasse em mim, conversasse, cuspisse tudo na minha cara, ai sim não trataria como falsidade. Caso contrário pra mim é falsidade sim!
E por causa dessa percepção, tenho cuidado mais de mim. Tentando deixar a inveja e pensamentos negativos a quilômetros de distância. E sei que isso só me fará melhor!

"Tudo vai melhorar quando a maioria das pessoas de bem forem mais ousadas que as canalhas."
(Arnaldo Jabor)

segunda-feira, 12 de abril de 2010

-'. namorado

-'. Estamos andando no mesmo ritmo.
Nos encontrando na entrada de uma mesma porta.
A felicidade entrou por ela, a harmonia vem seguindo o mesmo caminho, e estamos nos percebendo, nos entregando ao inevitável.
Ando exalando o cheiro da minha felicidade por onde passo, espalhando a essência do bem-estar, do que me faz bem, exalando amor.
Eu sempre acreditei que esses dias considerados perfeitos por mim, chegaria a algum momento. E hoje sei que valeu a pena, esperar e acreditar e acreditar que tudo se concretizaria.
Eu ando tão feliz, demonstrando o tamanho do meu carinho, 'aprendendo' que nenhum  dos dois estão no acostamento, e sim na estrada principal, unidos em busca de uma trilha maior.
Você não sabe o bem que anda me fazendo... se tudo terminasse hoje (e é claro que é só uma hipótese, que Deus abençoe a nossa relação!) , eu colocaria um ponto final com alegria, por saber que tudo é recíproco, por saber que tudo que sempre esperei e imaginei sempre existiu e por saber que você me ama.
Nada é mais confortante do que seu abraço quando estou em pânico, quando o medo e a tristeza tomam conta de mim. Eles me dão força, me impulsionam a superar, a querer ser melhor.
Você me incentiva a evoluir, a querer sempre mais. E se não fosse isso, já teria desistido de nós, e agora não estaria descobrindo o quanto é maravilhoso acreditar e logo após, descobrir que é mais do que gratificante agarrar com força o que o coração insiste em dizer.

Eu só sei que eu te amo, te amo do meu jeito, te amo do jeito que tem que ser.
Eu só sei que eu te quero, te quero como ninguém, te quero da forma mais linda que possa existir.

Eu só sei que você é meu namorado que sempre esperei, o namorado que nunca tive, o primeiro que valeu a  pena esperar pra ter!

'Eu não sei o que me domina
E mesmo assim não penso em me livrar
Num fascínio de alma gêmea
Você em mim constrói o seu lugar
  
O amor se fez me levando além onde ninguém mais
Criou raiz, ancorou de vez, fez de mim seu cais
Lendo a rota das estrelas

Nesse abraço se fez um ciclo
Que não tem fim e é todo o meu viver
É como alcançar o infinito
Reflete em mim e volta pra vc '
Jorge Vercilo

terça-feira, 6 de abril de 2010

-'. Mila

-'. Já brigamos.
Já nos desentendemos.
Mas entre quais amigos isso já não aconteceu?
Já cometi vários erros com ela, e foi recíproco.
Mas também já acertamos incontáveis vezes, e a reciprocidade nunca deixou de existir.
Já senti ciúmes dela, e é claro que a ciumenta também já teve muito ciúmes de mim.
Mas sempre tudo é resolvido.
Ela já viu meus atos como decepcionantes, ela também já me decepcionou.
Mas como o caminho da superação é trilhado por nós, superamos tudo a seu devido tempo.
Já passamos por tantas, tantasss juntas...
Tantas ruins, tantas boas, tantas maravilhosas e inesquecíveis, tantas inimagináveis.
Como está num show maravilhoso, ouvir uma música, todo mundo cantando e a gente só pulando dando risadas de nós mesmas por sermos as únicas a não conhecerem a música,  ou ensinar um gaaato a dançar "pirou minha cabeça e o coração...", ou estarmos no ônibus, entrar um cara mal encarado e eu falar: " é de la da rua" e vc entender "é ladrão de rua" e entrar em pânico, ou simplemesmente nos acabarmos de rir por horas por causa de uma foto de bizarra de um amigo nosso, ou ir encontrar algum "paquerinha" no shopping e descobrir que ele é um nerd ou um "pokémon". kkkkkkkkkkk, ou entre tantas outras.
E essa cumplicidade nunca pode deixar de ter vida, nunca pode deixar de florescer a cada dia, e isso só depende de nós. Só depende de nós cuidarmos desse sentimento e amizade como flor, regando pra que sempre permaneça colorida, cheia de vida e bonita de se ver.
Ainda tenho vontade de te mostrar tudo que sou capaz e você acha que não, ou por me conhecer demais, ou por querer me incentivar a ser capaz.

Eu te amo tanto, tanto...

Essa amizade não se desfaz ao vento, ou é abalada por erros já reconhecidos e perdoados.
Sempre levo você comigo, a sua essência.
Há tanto momentos que preciso de você ao meu lado, me dando uma  opinião qualquer, seja pra dizer: "essa roupa está ridícula!" - "tá faltando um pouco de sal" - " seu cabelo tá lindo hoje" - " a maquiagem tá forte" - " joga duro em cima dele amiga" - "vamos jogar buraco? =D"...

Já ficamos separadas por um tempo, mas o que importa é que estamos juntas. Nem com a amizade de 3 anos atrás, porque é passado. E nem com a amizade de 2 anos a frente porque é futuro. Mas com essa amizade do presente, essa que abre meus olhos quando estou errando, essa que só quer meu bem, essa que as vezes é irredutível, essa que se faz presente na minha vida pra mostrar o quanto é ESSENCIAL e sempre será insubstituível nela.

Te amo. <3