Pular para o conteúdo principal

Postagens

Mostrando postagens de Novembro, 2008

Lá vem, lá vem, lá vem de novo...

É tão bom quando de repente encontro alguém da forma mais inesperada...
Na hora menos prevista...
E num momento que não poderia ser melhor.
Alguém que me faz bem, que me faz rir com sua dose exata de criatividade, que segue meu protótipo de um homem, de um amigo, de uma pessoa.
Há pouco tempo de conhecimento...
Há pouco tempo de convivência...
Tudo muito novoo...
Mas espero que permaneça assimm...
=]]
Não crio expectativas e nem quero ter o prelúdio de nada.
Apenas curto cada momento, cada mensagem, cada conversa no msn, cada ligação que me desperta, cada pensamento alegre que me proporciona.
Não há nada melhor do que afinidades reconhecidas.
É maravilhoso lembrar de alguém e trazer risos a tona, sorrisos sinceros como o que eu estou dando agora.
Não sou capaz de transcrever mais nada, só que está sendo muito satisfatório pra mim, conhecer alguém tão sincero, fofo e que transborda alta-estima como vccc!!

E que se vá!

A vida segue.Bem, tranquila e feliz.E a vontade exarcebada da exclusão dessa frustação, sobressalta.
Seria hipocrisia fingir que não sofri.Fingir que não chorei por dias e dias.Fingir que esqueci e que não há nenhum vestígio de nada que se passou.Mas um pensamento mais que concretizado de amor próprio, não me deixa continuar naquela situação inusitada, capaz de mim trazer infelicidade, ciúmes e baixa-estima.
Não faz sentido viver em função de uma imagem que já não tem reflexo.
Não tem noção, o ser que se ilude , achando indispensável a presença constante de alguém ao seu lado, enquanto esse alguém sobrevive facilmente do outro lado da margem.

Há uma diferença incalculável entre: gostar e sofrer por estar junto e gostar e sofrer por estar separado.

Quem ainda não descobriu o diamante que sempre leva consigo, vive sofrendo "eternamente" ao lado de alguém, que já está acostumado a dizer que ama, e já nem sabe se isso continua prevalecendo. Quem vive assim, sempre viverá no desesper…

Só meu!

O tempo fechou...
Uma tempestade chegou sem mandar avisos, e eu me explodi em lágrimas.
A tristeza abriu espaço e os pingos começaram a cair.
Estão tentando me privar desses momentos.
Momentos ruins, porém indispensáveis para o meu crescimento e amadurecimento.
Sempre passa!
A vida não é um algodão doce e nem deveria ser. O seu lado amargo existe, e está sempre indo e voltando.
Tentamos conservar a felicidade de quem gostamos a todo custo.Como se a tristeza fosse um mal maior. Como se a queda fosse contagiosa. E a dor, uma doença fatal.
Temos a necessidade de viver momentos assim. É a forma de aprender a ser forte, saber onde pisamos e assim extinguir erros repetidos, sabendo o que vem a ser melhor pra si.
Não nasci numa bolha de sabão e tentar me excluir do que é a vida, nãovai me fazer bem algum.
Me deixa sofrer.
Me deixa quebrar a cara.
Me deixa chorar.
Me deixa viver o que é meu, da maneira que me convém.
Me deixa trilhar meu caminho.
E se por acaso eu venha a mim arrepender,chorar ou sorrir, j…

Sim.Não.Ausência de resposta!!

Essa mudança, muitas vezes não me faz bem. Não gosto de pensar demais antes de fazer qualquer coisa. Nunca gostei. Abominação. Essa é a palavra correta quando se trata de dúvida e ciúmes.
Tenho pensando nas consequências antes de poder até mesmo, chegar perto delas. Estou conseguindo reprimir meus passos... Fico estagnada em vez de tomar qualquer atitude. Sempre na dúvida. Ausência constante de um sim ou de um não.
Dizem que a dúvida é o início da sabedoria. Mas isso não me convém. Não penso assim. Gosto de ser decisiva nas minhas atitudes. E tudo isso vem fugindo desesperadamente do meu alcance.
Eu não quero me anular. Não desejo ha algum tempo, olhar para trás e ver que fraquessei, que me privei, que desperdicei tempo. Tempo esse que poderia ter surgido algo bom, esplêndido e alegre. Daqui a algum tempo eu só quero sorrir. Sorrir por ter sido o que fui. Sem arrependimentos.Sem lamentações.
Gosto de fazer o quero, como sempre fui. Na hora que quero, como sempre fiz. Aproveitando o presente, e o futuro …