quinta-feira, 22 de janeiro de 2009

¬¬


Quando começo a falar dela, um nojo me toma.. Uma pena sem tamanho.
Uma menina calculista, maquiavélica, que poderia usar essa inteligência para terminar o ensino médio ainda incompleto.
Sem uma proposta de futuro.
Sem fatos ou conquistas que concatenem caminhos.
Apenas um pensamento voltado para a tentativa de destruição da vida alheia.
Apenas se importa em tentar deteriorar laços que não são facilmente destruidos.
Apenas se importa em pôr mais problemas na cabeça de alguém que não tem nada a ver com os seus problemas.

É sem noção de dimensão, a pena que sinto dela.
Uma mistura de coisas ruins.
Ás vezes acho, que falo mais do que sinto. Que quando começo a escrever, as coisas vem em dose dupla.
Mas eu tenho tanta coisa presa na garganta... Palavras certa e verdadeiras prontas para serem cuspidas.
Só me falta uma oportunidade. Uma molécula qualquer...
Só preciso que não saia de onde me encontro, e que me fale alguma coisa.
Cara a cara..
Pessoalmente.
Uma oportunidade de dizer o que quero, naquela cara de louca, desvalida, invejosa, vingativa...
Menosprezada!
Alguém que não sabe o que é amor, além de dizer repetidas vezes que ama.
Alguém incapaz de ser franca e olhar nos meus olhos.
Alguém que usa a bondade de boa vontade das mentes fracas, pra se tornar o que sempre quis.
A queridinha!
Coisa que nunca será!

Nenhum comentário: