sexta-feira, 7 de maio de 2010

-'. o quanto é bom ter defeitos.

-'. Estive pensando o quanto é bom ter defeitoos e qualidades.
O quanto é bom, não ter somente experiências maravilhosas e benevolentes.
O quanto é bom, ter uma desavença com alguém.
O quanto é bom, ter alguém que você não goste, que você não vá com a cara.
Descobri que possuo defeitos, que me deixam em pé, que me sustentam, que me equilibram.
E o quanto seria desastroso pra mim, se eu deixasse de possuí-los.
Tudo na vida deve estar em um constante equilíbrio, tem que está sincronizado de alguma forma, sempre contatenando sentimentos ou momentos bons e ruins.
É incrível como muitas vezes achamos que devemos excluir de nós mesmos, os que as pessoas acham incorreto, fora do comum, abstrato. O que elas acham que não devemos possuir.
Só nós sabemos os que nos deixam firmes, o que nos faz melhor ou pior.
Pra aprendermos a dar valor a certas conquistas, temos que viver o custo que ela nos oferece, temos que pagar o preço. E é nos momentos mais difícieis que começamos a dar o verdadeiro valor que cada ato ou conquista merecem. É nos momentos mais difícieis que começamos a dar o verdadeiro valor a quem nos acompanha constantemente, a quem nos ama de forma leal e sincera. É praticamente nos momentos ruins, que conhecemos o lado amargo e doce da vida ao mesmo tempo e muitas vezes na mesma intensidade.
É vivendo uma briga, uma desavença com quem não gosta ou com quem ama, que vc inicia o aprendizado de limites, que você começa a discernir o que é ódio, o que é raiva, o que é um stresse passageiro ou uma briguinha boba. É claro que ninguém gosta de passar por caminhos obscuros, e seria hipocrisia minha dizer que gosto. É claro que não gosto, mas estou tentando aceitar e ver o lado bom que existe em tudo que há nesse mundo.
Eu gosto de falar, explanar tudo e tentar resolver. E era quase inaceitável viver com alguém que prefere se calar, ocultar as coisas, como uma forma de manter o stress a distância ou algo do tipo que ainda não consigo desvendar. Estou aprendo a me conformar com isso.
É muito obscuro passar a pensar dessa forma, na realidade é complicado respeitar opiniões que divergem das suas.
Ando captando, que não se deve viver apenas de momentos nomeados de lindos e esplêndidos, e sim de momentos que de alguma forma o torne completo e te ensine a essência que a vida te oferece!

2 comentários:

Crista disse...

Tu és o máximo!!!!

- | circunstâncias circunscritas | - disse...

Lindo texto. Me fez refletir bastante. A palavra é "aceitar" o que vivemos, seja os momentos ruins ou nao! Isso é maturidade. Momentos ruins sao bons e momentos bons são melhores ainda. A vida é mesmo assim. Temos que sempre agradecer cada segundinho. Um dia tudo isso sera história.
Abraçao.
Por Lawrence Tayller