segunda-feira, 23 de agosto de 2010

~'. espinho cravado no dedo

E uma dúvida cada vez mais crescente se instala na minha cabeça, no meu coração.
Quem foi mesmo que disse que a dúvida é o início da sabedoria?
Nesse meu caso meu bem, estou a beira do abismo apenas esperando o próximo acontecimento.
A dúvida é meu calo que dói, é meu espinho cravado no dedo, que me deixa inquieta, que me faz pensar mais que tudo, a todo momento.
E dói, dói pensar a todo momento e não ser capaz de encontrar um bypass!
E não ser capaz, de achar a válvula de escape.
É disso que estou precisando.
Um desvio que me leve pra fora desse mundo sem perspectivas.
Um desvio que me faça ver as coisas de forma mais real e ao mesmo tempo imaginárias.
Um desvio que faça minhas emoções serem equivalentes as minhas razões.
Um desvio que me der algo de concreto e abstrato.
Que satisfaça o meu querer e o meu amar ao mesmo tempo.
Um desvio.

Vai embora dúvida cruel, ninguém te chamou pra essa festa!

Jacqueline Soares

Nenhum comentário: