segunda-feira, 8 de novembro de 2010

~'. Constante Contradição

~'. Às vezes não sou tão aberta a mudanças, quanto digo que sou.
Elas chegam sem pedir licença, atropelando tudo que foi erguido com esforços, e no final temos que aceitá-las de qualquer forma, e seria bom que fosse da forma mais rápida.
Eu mudo de uma forma constante, voraz, às vezes calma... às vezes avassaladora.
Muitas vezes demora para que a percepção de atitudes novas, venha a surgir efeito sobre mim.
Sou muito ligada ao que fiz, ao que vivi, ao impacto que causei em vidas alheias, até onde deixei fluir as coisas, até onde dei liberdade... que não me sentia ( e de vez em quando até hoje não me sinto) no direito de desfazer tudo.
De repente eu me vejo, e percebo que não sou mais a mesma, que me transformei. E sempre foi um trabalho árduo mudar em relação as pessoas. Sempre foi difícil entender que se eu mudei, não faz mais sentido algum continuar agindo da mesma forma... Nem que seja pra preservar alguém, ou algo, ou algum momento, ou seja lá o que for.
Mas como fazer planos, dizer coisas, viver momentos com pessoas e depois olhar e dizer: -Não quero mais que seja assim, esse plano está desfeito, as coisas que disse não valem mais, aquilo foi só um momento passageiro?!
Sou do tipo de pessoa que se coloca por inteiro no lugar do outro. Sou do tipo de pessoa, que pensa, repensa, 'tripensa no que vai falar as pessoas por quais tenho um sentimento, um laço. E por agir dessa forma, ainda não me conformava totalmente em me contradizer a cada instante passado.
Mas é isso que sou, uma contradição sem tamanho que ainda muitas vezes não consegue se assumir, pra não magoar, pra não dar a impressão que tudo foi ilusório... passageiro, que foi uma mentira. Porque não foi, nada na minha vida é/foi uma mentira.
Muitas mudanças me deixam sem reação, mesmo que eu procure, mesmo que eu implore que um caminho seja mostrado, esse caminho não aparece. E só me resta amadurecer para que possa enxergar melhor, pra que possa ver detalhadamente a estrada surgindo passo a passo, se aproximando a cada segundo passado e assim achar uma solução plausível pra resolver o que me preocupa.
Mudanças... Mudanças... Muitas nos fazem bem, nos fazem melhor. E se olharmos com atenção, veremos que as piores mudanças nos destinam a sermos melhores também. Basta entender tudo o que se passa, e olhar o mundo com um olhar mais otimista.
Constante mudança, constante contradição, é isso que sou.

Um comentário:

Michele disse...

Tive um professor que vivia dizendo que só não muda quem já morreu. E tem verdade maior? Somos constante mudança, sim... às vezes mudamos em anos, e às vezes basta que algo aconteça pra causar uma enorme mudança em nós. Fundamental é aprender com essas coisas que nos parecem novas! Elas sempre podem nos tornar alguém melhor! :)

Um beijo, querida!